sábado, 15 de abril de 2017

Família e Formalidade



Quem me conhece sabe que não sou das mais chegadas em assuntos relacionados à família. Pelo contrário, procuro estar presente somente nos momentos necessários.

Sabem por quê? Porque as famílias, por serem parentes, se acham no direito de dar opinião em tudo: na profissão escolhida, na cor do carro, na data do casamento, no nome dos filhos, na cor da parede da sala, na contratação de uma empregada ou de uma babá...

A família, assim como todo grupo, demanda uma formalidade. As pessoas precisam também ter autonomia para fazerem escolhas. Tudo bem que muitos parentes querem o melhor para seus filhos, sobrinhos, netos, etc. Mas a escolha é das pessoas, principalmente quando são adultas. Se houver consequências ruins, elas vão saber lidar e mudar o que for necessário.

Ah! Mas o mundo é tão ruim, tão perigoso! Sim, é para todos nós. Tem o momento de educar, de criar raízes e o momento de dar asas, de deixar voar. E respeitar as escolhas. Desde pequenas as crianças já começam a fazer escolhas: como querem o corte de cabelo, o que querem vestir, o que gostam ou não de comer. E essas escolhas vão cada vez mais se ampliando porque as crianças vão crescendo.

Dar opiniões demais na vida de familiares pode criar um ambiente invasivo e até ser motivo de afastamento porque ninguém quer ser criticado ou questionado o tempo todo.

Então, para quem adora dar opinião na vida dos parentes, vai aí uma dica: seja empático. Será que você gostaria que alguém falasse do mesmo assunto sobre a sua vida? Você se sentiria bem ou sentiria que a sua privacidade tinha sido invadida?

Dica final: se você quer ser amigo de seus parentes, coloque-se à disposição para os momentos necessários. Seja uma pessoa confiável para conversar quando alguém precisar. Assim, sua opinião será sempre bem-vinda.